PROPOSITO OU PERFEIÇAO ...



Há sempre um alinhamento entre o teu caminho e as tuas crenças, jornada de vida e propósito, a cura que vieram realizar e as experiências que vocês criaram para a sua realização.
O teu propósito mais elevado é o aspecto mais poderoso de que vocês são capazes a qualquer momento.
Isso faz parte do teu contrato de alma com a Fonte e não há uma regra fixa de como fazer trazer o Céu à Terra para qualquer um.
Cada um vai chegar no seu próprio ritmo e no seu próprio tempo.
 Estar alinhado com o seu propósito é estar no seu próprio caminho, a cada momento, e isso é tudo o que vocês podem fazer.
É perfeito.

O Universo nunca exige a nossa perfeição, porque ela existe em todas as coisas, em todos os momentos e de todas as maneiras.
 Vocês questionam a perfeição de uma flor ou do oceano?
Então, por que questionam a sua perfeição?
O propósito existe na perfeição, mas o seu objectivo não é cumprido por vocês se tornarem ‘perfeitos’ vocês precisam começar no ponto de perfeição e saber que se movem de um aspecto de perfeição para outro.
O teu propósito é curar, não é ser perfeito.
 Não se atinge a perfeição ao ser melhor ou o máximo, ao ter mais ou ser mais rápido.
É quem e o que vocês são aos olhos da Fonte.

O teu propósito existe em perfeição em todos os momentos, mesmos naqueles em que vocês sentem medo, perda, crêem que não estão a viver à altura do vosso verdadeiro potencial ou estão incertos quanto ao vosso verdadeiro objectivo.
Vocês vivem o vosso propósito em cada momento e isso inclui todas as dúvidas e medos.
Superar isso faz parte do vosso propósito, assim como ter a coragem de aceitarem-se como vocês são a cada momento.
O maior presente que vocês podem dar a vós mesmos é reconhecer a vossa perfeição para que possam concentrar-se no verdadeiro propósito do caminho de vida, que é tornarem-se um co-criador com o espírito.

Não há propósito na busca da perfeição, porque ela já existe.
Há propósito em procurar a verdade, em deixar brilhar a sua luz e em não ter medo de críticas ou de dúvidas.
Cada um de vocês é a luz de Deus, um farol da luz divina, do amor incondicional, e isso é a vossa perfeição.
O vosso propósito é ser quem vocês são, deixar brilhar a luz no mundo e honrar a si mesmos e a todos na perfeição.
Em seguida, vocês podem concentrar a vossa energia em expandir-se a partir de um aspecto da perfeição para outro, movendo-se através das dimensões do tempo, e da vibração energética, à medida que se alinham com a verdade do vosso ser, e encontram a alegria na sua perfeição para criar o Céu na Terra.


..---ooo000ooo---..




Direitos reservados © 2004,2005, 2006 para Jennifer Hoffman. Todos os direitos são reservados. Todo o material desta página está protegido pela lei dos direitos internacionais dos Estados Unidos da América e não podem ser parcialmente o integralmente reproduzidos sem a permissão escrita e expressa da autora. Todas as reproduções autorizadas, parciais ou em cópias, por inteiro ou em parte, devem fazer referência ao nome da autora e ao website de Curas Uriel

Tradução:  Ivete Brito


Namasté...

CONTROLANDO A MENTE ...



Existe um incrível poder e inteligência no seu interior constantemente reagindo aos seus pensamentos e palavras. À medida que você vai aprendendo a controlar sua mente através da escolha consciente de pensamentos, você se alia a esse poder e inteligência.
Não pense que sua mente está no controle. Você é que controla sua mente. Você usa sua mente. Você pode parar de pensar esses velhos pensamentos.


Quando seu velho pensamento tenta voltar e dizer: "É muito difícil mudar" assuma o controle de sua mente e diga: "Agora escolho acreditar que está se tornando mais fácil para eu fazer mudanças". Pode ser que tenha de conversar assim com sua mente várias vezes, até que ela reconheça que você está no controle e que sua palavra é a que vale.


A única coisa sobre a qual você tem controle é o seu pensamento actual
Seus velhos pensamentos não existem mais; não há nada que você possa fazer sobre eles excepto vivenciar as experiências que causaram. Seus futuros pensamentos ainda não se formaram e você não sabe quais serão. No entanto, seu pensamento actual, o que você está pensando agora, está totalmente sob seu controle.



Exemplo

Suponhamos que você tenha um filho que há muito tempo recebeu permissão de ficar acordado até tarde. Num belo dia, você decide que agora quer que o garoto vá para a cama todas as noites às oito horas. Como acha que será a primeira noite?
Claro, a criança se rebelará contra essa nova regra e poderá berrar, chutar e inventar um monte de coisas para não ir se deitar.
Se você não ficar firme na sua decisão, seu filho ganhará a parada e tentará controlá-lo para sempre.
No entanto, se você não abrir mão do que decidiu, mantendo-a calma e insistindo que essa é a nova hora de dormir, a rebeldia ir diminuindo. Em duas ou três noites a nova rotina estará estabelecida.


O mesmo acontece com a sua mente. Claro que ela inicialmente se rebelar é pois não deseja ser retreinada. Porém, você está no controle e se, se mantiver firme e concentrado, dentro de pouco tempo o novo modo de pensar ficará estabelecido e será extremamente gratificante tomar consciência de que você não é uma vítima indefesa de seus Pensamentos, mas sim o patrão de sua mente.


Exercício: Deixando ir

Enquanto lê, tome uma respiração profunda e, à medida que for exalando, deixe toda a tensão sair de seu corpo. Deixe seu couro cabeludo, sua testa e seu rosto relaxarem. A cabeça não precisa estar tensa para você ler. Deixe a língua, a garganta e os ombros relaxarem. Você pode segurar o livro com braços e mãos relaxados. Faça isso agora - deixe as costas, o abdômen e a pélvis relaxarem. Deixe sua respiração se tranquilizar enquanto você vai relaxando as pernas e os pés.
Você sentiu uma grande mudança no seu corpo desde que começou o Parágrafo anterior? Note o quanto você se prende. Se está fazendo isso com seu corpo, está fazendo com sua mente.
Nessa posição relaxada, confortável, diga a si mesmo: "Estou disposto a deixar ir. Eu solto. Eu deixo ir. Solto toda a tensão. Solto todo o medo. Solto toda a raiva. Solto toda a culpa. Solto toda a tristeza. Deixo ir todas as minhas velhas limitações. Deixo ir e estou em paz. Estou em paz comigo

mesmo com o processo da vida. Estou em segurança". Estou em paz.
Repita esse exercício duas ou três vezes. Sinta como é fácil deixar ir. Faça-o de novo sempre que sentir pensamentos de dificuldade aparecendo. É preciso um pouco de treinamento para a rotina tornar-se uma parte integrante de sua vida. Quando você primeiro se põe nesse estado de paz, fica fácil para as afirmações se assentarem. Você torna-se aberto e receptivo a elas e não há mais necessidade de luta, tensão ou esforço. Apenas relaxe e se entregue aos pensamentos apropriados. Sim, é mesmo fácil.



Fonte: Você Pode Curar a Sua Vida - Louise Hay



Namasté...

SABEDORIA INDIGENA ...



Mantenha sua face voltada para o sol e os segredos serão revelados.
 Mantenha seus pés conectados com a terra e o sustento será garantido.
 Mantenha seus olhos no espírito e enxergará além do tempo visível.
 Mantenha seus princípios em cultivo e os bons ventos virão de improviso.
 Mantenha sua face voltada para o sol e o sol iluminará os seus passos.

Mitakuye Oyasin! CACIQUE INDIGENA



Namasté...

SER FELIZ E NAO PERFEITO ...



Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.

É ter maturidade para falar: "Eu Errei".
É ter ousadia para dizer: "Me Perdoe".
É ter sensibilidade para confessar: "Eu Preciso De Você".


Renata Gomes
in ‎"Insista, Persista e Não Desista

Namaste

AS SEIS PERFEIÇÕES DO BUDISMO ...



1. Generosidade

Uma das principais práticas da filosofia budista, é também sinônimo de doação.
Mais do que abrir mão dos bens materiais e de consumo, ela implica disposição para dar algo ao outro de maneira espontânea e de boa vontade.
O primeiro passo para você alcançá-la em plenitude é superar o apego.
 “Pensar na transitoriedade das coisas, inclusive do corpo, diminui nossa ligação excessiva a tudo que nos rodeia.
Dê o possível agora e deseje intensamente ser capaz de se desapegar daquilo de que é mais difícil renunciar”, aconselha Geshe Sonam Rinchen.
O exercício de tal atitude e a compreensão da transitoriedade das coisas evitam que soframos exageradamente na ausência de objetos, pessoas ou posses que consideramos importantes.
Ele recomenda: “Não adie uma ação generosa.
Aproveite cada oportunidade que surgir na vida, pois possuir muito é inútil e, quanto maior a doação, mais recursos virão em nossa direção”.
Do ponto de vista do budismo, o excesso de bens materiais, além de não trazer a real felicidade para a vida, gera concentração de riqueza de um lado e miséria do outro.
 Já a divisão dos recursos é capaz de criar prosperidade para todos.
Vale lembrar mais uma vez que a generosidade só tem valor quando é sincera, feita com alegria e sem esperar nada em troca.



2. Disciplina ética

Formado pela junção de duas qualidades igualmente importantes e profundas, esse preceito se manifesta de três maneiras diferentes: a coibição do mal, a criação da virtude e o trabalho voluntário pelo próximo.
Para o budismo, o mal se expressa por meio de toda atitude física e verbal que possa prejudicar os outros e a nós mesmas.
Por isso, um dos papéis da disciplina ética é justamente evitar a impulsividade, o arrependimento e levar à consciência plena das palavras e dos atos diários.
“O primeiro passo para ter essa virtude é reconhecer e admitir os pensamentos e ações faltosos como tais”, diz Rinchen.
Depois vem a necessidade de transformar suas atitudes: “Você está fazendo o que sempre fez, não é de surpreender que as coisas estejam na mesma.
Se quiser que elas sejam diferentes, terá de mudar de hábitos”, orienta.



3. Paciência

Mais do que a simples calma, a paciência representa a capacidade de permanecer com a mente serena em qualquer situação, aceitando voluntariamente as adversidades e confiando que, aconteça o que acontecer, será para seu bem.
Ela seria, em linhas gerais, uma compilação da tolerância, da resignação e da fé.
Mas é preciso, entretanto, diferenciar a paciência da supressão da raiva, alerta Rinchen.
“Quando a raiva simplesmente submerge, persiste como ressentimento, e a paz e a harmonia não são possíveis enquanto houver mágoa”, diz.
A paciência seria então o contrário da raiva, a possibilidade de perceber as dificuldades e defeitos dos outros e de compreendê- los, sem julgar, criticar ou condenar.
Algo que não é fácil, é claro, mas que pode ser conquistado pouco a pouco.
Outro alicerce dessa virtude é a esperança.
“Assim como o dia é seguido pela noite e a noite pelo dia, bons e maus períodos se sucedem. Quando houver maus períodos, tome coragem e pense que o sofrimento não durará para sempre”, sugere.



4. Sabedoria

Raiz de todas as qualidades, essa é uma virtude importante para a prática de todas as outras.
Sem ela, a generosidade, a disciplina ética, a paciência, o esforço entusiástico e a concentração se tornam cegos.
Para Rinchen, é ela que faz com que cada virtude se torne mais forte.
Até mesmo para ser generoso, é preciso ser sábio, dizem os especialistas.
 “O inferno está cheio de boas intenções, por isso é importante sabermos quem e como ajudar para não acabarmos prejudicando quem recebe”, explica Enio Burgos, fundador da Associação Meditar, em São Paulo.
O simples ato de dar dinheiro a uma criança de rua, por exemplo, pode parecer uma boa ação, mas corre o risco de contribuir para o mal, caso ele seja usado para a compra de drogas.
 Essa visão mais abrangente das causas e consequências de nossos atos é a sabedoria, virtude que pode ser adquirida com estudo, observação da realidade e fortalecimento de um olhar mais profundo sobre a existência humana.
Buda disse: “Muitos problemas do mundo têm raiz na ignorância”.
Na visão budista, negar que não fazer o bem aos outros nos prejudica explica, em parte, o caos que vivemos.
O inverso também é verdadeiro: o bem que fazemos volta para nós.
“Se percebêssemos a vida como uma oportunidade de nos tornarmos pessoas melhores e enxergássemos no outro um igual, não haveria tanto sofrimento”, diz Burgos.



5. Concentração

Você tem o hábito de fazer mil coisas ao mesmo tempo e de estar sempre preocupada com problemas que ainda não aconteceram?
Para o budismo, esse comportamento demonstra que sua mente não está tranquila, pois foi dominada pelo medo e pela ansiedade, emoções contrárias à felicidade.
A melhor maneira de combater esses sentimentos, diz Rinchen, é se esforçar para manter a atenção no aqui e agora, vivenciando cada momento por vez, com total concentração, sem perder o foco, haja o que houver.
“Precisamos estar mais presentes em cada ato de nossa vida”, afirma o escritor Enio Burgos. “Vejo pais tão apressados ao buscarem os filhos na escola que mal esperam a criança entrar no carro para acelerar.
Sabemos que todos têm uma vida corrida, mas, se não temos tempo em quantidade, que possamos dar pelo menos qualidade às pessoas que convivem conosco.
”Para aprimorar a concentração, os budistas usam a meditação, que acalma os pensamentos e evita que possíveis problemas, reais ou imaginários, desviem nossa atenção do que realmente importa: o agora.



6. Esforço entusiástico

Todas as conquistas ganham sabor especial quando alcançadas com esforço.
Para o budismo, não é somente o bom resultado que nos alegra, mas o caminho que percorremos para consegui-lo.
Na visão do autor, ainda que uma pessoa não alcance o que deseja, se tiver se dedicado a isso, ficará feliz no final, pois sabe que fez o seu melhor.
Essa junção de prazer e dedicação é o esforço entusiástico, virtude capaz de tornar menos espinhosas até mesmo as tarefas mais difíceis.
Ela pode se manifestar na forma de determinação para enfrentar um obstáculo, caso de um atleta que não poupa esforços para superar seus limites, na satisfação em fazer o que é certo e no trabalho em favor do próximo.
Para entender isso, basta lembrarmos de pessoas que, em casos de desastres, largam tudo para socorrer os amigos e vizinhos e sentem-se muito felizes com isso.
“Todos nós enfrentamos na vida adversidades as quais não podemos controlar, mas os grandes mestres nos mostraram outra dimensão de felicidade, relacionada ao fato de sermos íntegros o tempo todo, dando nosso melhor em todas as tarefas que fazemos, sejam elas para nós ou para os que convivem conosco”, afirma a lama Tsering.



DO BLOG “Encontro com Mestres notáveis”



Namasté...

O FUNDO DO POÇO ...




Existem dias em que tudo o que enxergamos é o poço profundo,
 é onde o abatimento pelas situações contrárias pesa,
 é quando não temos mais desejo por nada.
 Nosso olhar é para o chão, com foco no vazio.
 Se dormimos, não sonhamos,
 se sonhamos, são pesadelos,
 se tentamos nos animar, é passageiro,
 é como uma brisa que passa,
 quando precisamos é de vento.

Pois é do fundo de poço que te faço o convite:
 - olhe para cima!
 Há uma luz brilhando na saída do poço!
 Há uma esperança enorme que pode ser convertida,
 que pode deixar de ser utopia para ser realidade.
 Não olhe mais para o seu tamanho,
 nem se fixe nos problemas,
 apenas olhe para o alto do poço,
 veja o sol refletindo nas paredes,
 veja as gotas da chuva alimentando a terra,
 gerando nova vida.
 Assim, eu te digo, que Aquele que se preocupa com a semente,
 que se importa com os passarinhos,

que tem velado pelas árvores, pelos oceanos,
 se preocupa com você,
 e tem tanto amor para lhe entregar,
 que mesmo entre as piores dores,
 você vai se levantar.

Esse é o Deus que não mede distâncias,
 que não escolhe privilegiados,
 que hoje sai pelas ruas em busca dos que estão doentes,
 dos que estão encarcerados em si mesmos,
 dos que tem a visão embaçada,
 e até daqueles que nunca o procurou,
 e se mostra simples, se faz humilde,
 abre os braços fraternos e diz:
 Estou aqui!

Entregue-se a este abraço eterno!
 Que te aliviará os fardos do tempo,
 renovará sua jornada, te fará uma nova pessoa,
 pois em Cristo, tudo se renova,
 tudo se faz novo, até o fundo do poço,
 ganha cores impressionantes,
 e deixa de ser um buraco escuro,
 para ser plataforma para a sua subida,
 para o alto, seguro e confiante,
 repetindo com certeza, sem hesitação:
 - Cristo está comigo, a quem temerei?
 Esta é a minha mensagem, para o seu coração.
 Que assim seja!

Paulo Roberto Gaefke




Namasté...

O QUE FAZER PARA SER FELIZ ...




Há muitos e muitos anos, vivia na Índia um sábio,
 de quem se dizia que guardava num cofre encantado, um grande
 segredo, que o fazia ser vencedor em todos os aspectos da vida, e,
 por isso, se considerava o homem mais feliz do mundo.
 Muitos reis, com inveja, ofereceram-lhe poder e dinheiro pelo
 cofre, e até tentaram roubá-lo, mas em vão.
 Quanto mais eles queriam o cofre, mais infelizes se tornavam,
 pois, a inveja não os deixava viver.
 Assim, os anos foram-se passando, e o sábio era cada dia mais feliz.
 Um dia, um menino chegou até ao sábio e disse-lhe:
 - Também, gostaria de ser sábio como o senhor. Porque
 não me ensina o que devo fazer para conseguir a felicidade?
 O sábio, ao ver a simplicidade e pureza do menino, disse-lhe:
 - Eu vou ensinar-te o segredo da felicidade. Venha comigo e
 preste bastante atenção. Na verdade, são dois os cofres onde guardo
 o segredo para ser feliz. O nome dos cofres são mente e coração, e o grande
 segredo, não é nada mais nada menos do que uma série de passos que deverá seguir
por toda a vida...
 O primeiro passo - é saber que existe a

“PRESENÇA DE DEUS”

em todas as coisas da vida; portanto, deves amá-Lo e dar-Lhe graças,
 por tudo o que tens.
 O segundo passo - é que deves

“AMAR-TE”,

e todos os dias, ao levantar e ao deitar, deves afirmar:
 - Eu sou importante, eu sou capaz, eu tenho valor, eu sou inteligente,
 eu sou carinhoso, eu espero muito de mim, e não há obstáculo
 que eu não possa vencer. Isto chama-se

“AUTO-ESTIMA”

Terceiro passo - deves pôr em prática todas as tuas afirmações.
 Por exemplo, se te achas inteligente, deves agir com inteligência;
se crês que és capaz, faz o que te propuseste a fazer. Se ainda não estabeleceste metas
na tua vida, trata de estabelecê-las e luta por elas, até conseguires atingi-las.
 Este passo chama-se

“MOTIVAÇÃO”

O quarto passo - consiste em

“NÃO TER INVEJA DE NINGUÉM”

seja pelo que os outros possuam, ou pelo que são.
 Eles já alcançaram a sua meta.
 Agora, lute para alcançar a tua.
 O quinto passo - é que
 não deves

“GUARDAR RANCOR”

em teu coração, contra ninguém.
Este sentimento não te fará feliz.
 Deixa que as leis de Deus façam justiça.

“PERDOA E ESQUECE”

Sexto passo.
Não deves pegar o que não é teu. Lembra-te que
 de acordo com as leis da natureza,
será tirado de ti algo de maior valor.
 O sétimo passo é:

“NÃO MALTRATES NINGUÉM”

Todos os seres criados tem direito ao respeito,
 amor e carinho.
 E por último... acorda sempre com um sorriso nos lábios,
observa ao teu redor e descobre o lado bom e bonito de cada coisa.
 Pensa em quão afortunado és, em ter tudo o que tens, e
ajuda o próximo, sem esperar recompensa.
 Olha as pessoas e descobre nelas qualidades, e dá-lhes também
 o segredo para serem vencedoras, porque só assim todos poderemos ser

MUITO FELIZES!!!...



Desconheço o autor

Namasté...

OS CAMINHOS DE DEUS ...




Nossos caminhos nem sempre são aqueles que nosso coração projeta.
Nem para nós, nem nossos filhos ou para a pessoa que nosso coração elegeu.
É evidente que Deus quer a nossa felicidade e que nos deixou o livre arbítrio para fazermos nossas escolhas.
E olha o resultado: vamos à direita quando deveríamos ir à esquerda, nos precipitamos quando deveríamos esperar, esperamos demais quando deveríamos tomar uma atitude e tornamos nosso coração insatisfeito.

Se o coração chora, não é porque Deus provocou lágrimas, mas porque, tendo a escolha, ficamos do lado errado.
Seria um mundo perfeito se projectássemos todos os nossos sonhos e que eles se construíssem pontinho por pontinho, até o fim.
É isso que tentamos fazer diariamente quando dizemos a Deus para fazer exactamente aquilo que queremos que seja feito, porque bem sabemos, apesar de mal interpretarmos, que Deus deseja nossa felicidade e somente nossa felicidade.

Queremos aquele trabalho específico, um casamento perfeito com uma pessoa perfeita, filhos perfeitos e inteligentes, a cura para todos os males e uma situação financeira estável e equilibrada.
Dizemos então a Deus:
 - aqui estão meus projectos e eu sou seu filho.
 Realize-os!
Ah, se conhecêssemos o íntimo do nosso ser como Deus conhece!...
Se tivéssemos a humildade de pensar que talvez seria melhor tomar outro caminho que o planejado, não erraríamos tanto e não sofreríamos tanto!

Tente dar ao seu próprio filho tudo o que ele pede sem reflectir, no momento que ele pede.
 Você perceberá com o tempo que ele ficou despreparado para a vida ou que correu riscos que poderiam ter sido evitados.
 Deus nos dá o livre arbítrio sim.
Mas na Sua sabedoria pode nos dizer se este caminho é melhor que aquele, se o coração não está influenciado demais por emoções, se o dia poderia ser pintado de outra cor.

O coração projecta sim, para hoje, para amanhã e para depois e é bom que seja assim.
 Precisamos de planos para o dia seguinte.
 Mas felizes são aqueles que sabem esperar a hora, o momento e têm a humildade de entregar esses planos Àquele que esquadrinha nossos corações e conhece nosso eu.

Letícia Thompson



Namasté...