30 DE JULHO-COMEMORAÇÃO DA ASCENSÃO DE KUAN YIN ...

MESTRA ASCENSA KUAN YIN



Kuan Shih Yin Tzu Tsai, significa 'a soberana que se preocupa com os sons do mundo'. De acordo com a lenda, ela parou no umbral do céu para ouvir os clamores do mundo. Kuan Yin já era adorada na China antes do advento do Budismo, passando a ser adoptada pelos budistas como uma encarnação de Avalokitesvara (Padmapani), cuja intercessão tem sido invocada ao longo dos séculos por devotos que entoam as seis sílabas místicas 'OM MANI PADME HUM'. No Ocidente acabou por se tornar conhecida como a Deusa da Misericórdia.



Segundo a tradição, Kuan Yin teria encarnado como a terceira filha de Miao Chuang Wang, identificado como sendo da dinastia Chou, governante de um reino do norte da China, por volta do ano 696 A.C.. De acordo com a lenda, ela se determinara a seguir uma vida religiosa, tendo se recusado a casar, apesar das ordens do seu pai, e das súplicas dos seus amigos. Entretanto, foi-lhe finalmente permitido ingressar no Convento de Freiras do Pássaro Branco, em Lungshu Hsien. Aí, por ordens do seu pai, foi submetida às mais árduas tarefas, que de forma alguma enfraqueceram o seu zeloso amor por Deus.



Enraivecido pela sua devoção, Miao Chuang Wang (seu pai), ordenou que fosse executada, mas quando a espada a tocou partiu-se em mil pedaços. Seu pai então ordenou que fosse asfixiada, mas quando a sua alma deixou o seu corpo, e desceu até o inferno, transformou-o num paraíso. Transportada numa flor-de-lótus até a Ilha de P'ootoo, próxima a Nimpo, aí viveu durante nove anos, curando os enfermos, e salvando marinheiros do naufrágio.



Certa vez, quando soube que seu pai estava muito doente, cortou um pedaço da carne dos seus braços, e usou-a como um remédio que lhe salvou a vida. Em gratidão, ele ordenou que uma estátua fosse erigida em sua honra, comissionando ao artista que a representasse com 'olhos e braços completamente formados'. Entretanto, o artista compreendeu mal, e até hoje Kuan Yin algumas vezes aparece representada com 'mil braços e mil olhos', sendo capaz, dessa forma, de olhar e cuidar de todo o seu povo.



Kuan Yin fez o voto do Bodhisattva, de trabalhar junto às evoluções deste planeta e deste sistema solar para lhes mostrar o caminho dos Ensinamentos dos Mestres Ascensos. Foi a antecessora de Saint Germain como Chohan do Sétimo Raio, cujo cargo ocupou durante dois mil anos, e serve como a representante do sétimo raio no Conselho do Karma. Kuan Yin é a hierarca do Templo da

Misericórdia, situado no plano etérico sobre a cidade de Pequim, na China, desde onde focaliza a chama da misericórdia e do perdão para os filhos da antiga terra de Chin, e as almas da humanidade.



A chama da misericórdia é o meio pelo qual o Cristo intercede em prol daqueles que não conseguem suportar o impacto total do seu próprio retorno de Karma, requerendo, desta forma, um intermediário que se interponha entre a sua criação humana e a Grande Lei.



Num ditado comunicado por intermédio de Elizabeth Clare Prophet, no dia 10 de Abril de 1974, Kuan Yin descreveu a acção da chama da misericórdia que ela personifica:

'Supliquei por muitos de vós diante dos Senhores do Karma, para que tivésseis uma oportunidade de reencarnar, de nascer perfeitos, sem o grande Karma de ser aleijado ou cego de nascimento, que alguns de vós merecíeis. Intercedi com a chama da misericórdia a vosso favor, de forma que pudésseis buscar, na liberdade de uma mente e de um corpo sadios, a Luz da lei... A acção do perdão representa a colocação do Karma de lado, a diminuição do Karma por um período de tempo, para dar à pessoa a oportunidade de encontrar a Deus, de encontrar ao Espírito Santo, de abraçar o Cristo como o Salvador'.



É assim que Kuan Yin ensina a humanidade não ascensa a invocar a lei do perdão, e explica que quando o indivíduo alcança uma certa mestria na Senda, então a lei da misericórdia lhe faz retornar o 'pecado' que fora colocado de lado, de forma que o indivíduo possa experimentar a alegria de equilibrar cada jota e til da energia mal qualificada, cumprindo, portanto, a lei do seu próprio ser.


Excerto do texto do portal Arco Íris











Bem Amada Kwan Yin

Invoco Tua soberana Luz

Divina Jóia do Lótus Sagrado

Habitai meu Coração.



Divina Deusa do Amor

Resplandece Tua Divina luz em meu caminho

Ilumina meus passos

Bem Amada Mãe de Misericórdia.



Sagrada Mensageira da Compaixão Divina

Despertai Tua Divina Luz em meu coração

Transforma meu mundo com Tua Divina Benção

Compadece-te de mim Divina Mãe.



Divina Jóia do Lótus

Fazei de mim instrumento de Tua Compaixão

Que vossa Divina Misericórdia

Resplandeça em meu coração hoje e sempre.



Divina Mãe Kwan Yin

Eu reverencio Tua Divina Compaixão

Que flui em meu coração na forma

Da Divina e Eterna Canção:



“OM MANI PADME HUM” - (3 x)




Namasté...

EFÉMERO ...



Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é efémera, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais.
Algumas, mesmo ainda em botão.
Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira até que, pétala por pétala, tranquilas, vividas, se entrega ao vento.
Mas a gente não sabe adivinhar.
A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor.
E descuidamos.
Cuidamos pouco.
De nós, dos outros.

Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos.

Perdemos dias, às vezes anos.
Nos calamos quando deveríamos falar; falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede essa aproximação.

Não damos um beijo carinhoso “porque não estamos acostumados com isso” e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.

E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós. Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente.

Cobramos... Dos outros... Da vida... De nós mesmos.

Nos consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente.

E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?

Isso faria uma grande diferença!

E o tempo passa…

Passamos pela vida, não vivemos.
Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.

Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos para trás.
E então nos perguntamos: e agora ?

Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.

Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.

Não olhe para trás.
O que passou, passou.

O que perdemos, perdemos.

Olhe para frente!

Ainda é tempo de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor.
Ainda é tempo de voltar-se para Deus e agradecer pela vida, que mesmo efémera, ainda está em nós.

Pense!…

Não o perca mais!…



Desconheço o autor ...
Namasté...

APROVEITA O DIA ...



Aproveita o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Derruba-nos, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso.
Não te resignes, e nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido...


Walt Whitman


"Olhem para o Futuro, Observem o Passado e Transformem-se no Aqui e Agora."



Namasté...

A CIGARRA E AS DUAS FORMIGAS ...



A FORMIGA BOA


Houve uma jovem cigarra que tinha o costume de chiar ao pé dum formigueiro. Só parava quando cansadinha; e seu divertimento então era observar as formigas na eterna faina de abastecer as tulhas. Mas o bom tempo afinal passou e vieram as chuvas. Os animais todos, arrepiados, passavam o dia cochilando nas tocas. A pobre cigarra, sem abrigo em seu galhinho seco e metida em grandes apuros, deliberou socorrer-se de alguém. Manquitolando, com uma asa a arrastar, lá se dirigiu para o formigueiro. Bateu _ tique, tique, tique... Aparece uma formiga, friorenta, embrulhada num xalinho de paina.

- Que quer? _ perguntou, examinando a triste mendiga suja de lama e a tossir.

- Venho em busca de um agasalho. O mau tempo não cessa e eu...

A formiga olhou-a de alto a baixo.

- E o que fez durante o bom tempo, que não construiu sua casa?

A pobre cigarra, toda tremendo, respondeu depois de um acesso de tosse:

- Eu cantava, bem sabe...

- Ah! ... exclamou a formiga recordando-se. Era você então quem cantava nessa árvore enquanto nós labutávamos para encher as tulhas?
- Isso mesmo, era eu...

- Pois entre, amiguinha! Nunca poderemos esquecer as boas horas que sua cantoria nos proporcionou. Aquele chiado nos distraía e aliviava o trabalho. Dizíamos sempre: que felicidade ter como vizinha tão gentil cantora! Entre, amiga, que aqui terá cama e mesa durante todo o mau tempo.

A cigarra entrou, sarou da tosse e voltou a ser a alegre cantora dos dias de sol.



A FORMIGA MÁ

Já houve, entretanto, uma formiga má que não soube compreender a cigarra e com dureza a repeliu de sua porta.

Foi isso na Europa, em pleno inverno, quando a neve recobria o mundo com seu cruel manto de gelo.

A cigarra, como de costume, havia cantado sem parar o estio inteiro e o inverno veio encontrá-la desprovida de tudo, sem casa onde abrigar-se nem folhinha que comesse.

Desesperada, bateu à porta da formiga e implorou - emprestado, notem! - uns miseráveis restos de comida. Pagaria com juros altos aquela comida de empréstimo, logo que o tempo o permitisse.

Mas a formiga era uma usurária sem entranhas. Além disso, invejosa. Como não soubesse cantar, tinha ódio à cigarra por vê-la querida de todos os seres.

- Que fazia você durante o bom tempo?

- Eu... eu cantava!...

- Cantava? Pois dance agora, vagabunda! - e fechou-lhe a porta no nariz.

Resultado: a cigarra ali morreu e quando voltou a primavera o mundo apresentava um aspecto mais triste. É que faltava na música do mundo o som estridente daquela cigarra, morta por causa da avareza da formiga. Mas se a usurária morresse, quem daria pela falta dela?


Monteiro Lobato





Que seria de todos nós, se os artistas, escritores, músicos não existem...

Quantas maravilhosas cigarras embelezam a nossa vida...

O mundo precisa de formigas e de cigarras.

Qual das formigas você é ?

Pense nisto!





Namasté...

O MILAGRE DA CANÇAO DE UM IRMAO...

Uma história real!



 
Como qualquer mãe, quando Karen soube que um bebé estava a caminho, fez todo o possível para ajudar o seu outro filho, Michael, com três anos de idade, a se preparar para a chegada.

Os exames mostraram que era uma menina, e todos os dias Michael cantava perto da barriga de sua mãe.

Ele já amava a sua irmãzinha antes mesmo dela nascer.

A gravidez se desenvolveu normalmente, entretanto surgiram algumas complicações no trabalho de parto e a menina foi levada para a UTI neonatal do Hospital Saint Mary.

Os dias passavam e a menininha piorava.
O médico disse aos pais que deveriam preparem-se para o pior, pois as chances dela eram muito pequenas.

Enquanto isso Michael, todos os dias, pedia aos pais que o levassem para conhecer a sua irmãzinha.

A segunda semana de UTI entrou e esperava-se que o bebé não sobrevivesse até o final dela.

Michael continuava insistindo com seus pais para conhecer sua irmãzinha, mas crianças não eram permitidas naquela UTI.

Karen decidiu que levaria Michael ao hospital de qualquer jeito.
Ele ainda não tinha visto a irmã e, se não fosse hoje, talvez não a visse viva.

A enfermeira não permitiu que ele entrasse e exigiu que ela o retirasse dali.

Mas Karen insistiu:
- "Ele não irá embora até que veja a irmãzinha!"



Finalmente Michael foi levado até a incubadora.
Depois de alguns segundos olhando, ele começou a cantar, com sua voz pequenininha, a mesma canção que cantava para ela ainda na barriga da mãe:

"- Você é o meu sol, o meu único sol.
Você me deixa feliz mesmo quando o céu está escuro...".



Nesse momento, o bebé pareceu reagir.
A pulsação começou a baixar e se estabilizou.
 Karen encorajou Michael a continuar cantando.
Enquanto Michael cantava, a respiração difícil do bebé foi se tornando suave.

-"Continue, querido!", pediu Karen, emocionada.

Todos se emocionaram e alguns até choraram.

No dia seguinte, a irmã de Michael já tinha se recuperado e em poucos dias foi para casa.

O Womans Day Magazine chamou essa história de "O milagre da canção de um irmão."

Karen chamou de "O milagre do amor de Deus".

O AMOR É INCRIVELMENTE PODEROSO.



"O amor é benigno" - I Coríntios 13.4.

Enviado por mail por uma amiga :D


Namasté...

COPO DE LEITE ...



Um dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, viu que só lhe restava uma simples moeda de dez centavos e tinha fome.




Decidiu que pediria comida na próxima casa. Porém, seus nervos o traíram quando uma encantadora mulher jovem lhe abriu a porta. Em vez de comida, pediu um copo de água.


Ela achou que o jovem parecia faminto e assim lhe deu um grande copo de leite. Ele bebeu devagar e depois lhe perguntou:


-Quanto lhe devo?


Não me deves nada -respondeu ela. E continuou:


Minha mãe sempre nos ensinou a nunca aceitar pagamento por uma oferta caridosa.


Ele disse:


-Pois te agradeço de todo coração.


Quando Howard Kelly saiu daquela casa, não só se sentiu mais forte fisicamente, mas também sua fé em Deus ficou mais forte.


Ele já estava resignado a se render e deixar tudo.


Anos depois, essa jovem mulher ficou gravemente doente.


Os médicos locais estavam confusos. Finalmente a enviaram à cidade grande, onde chamaram um especialista para estudar sua rara enfermidade.


Chamaram o Dr.Howard Kelly. Quando escutou o nome do povoado de onde ela viera, uma estranha luz encheu seus olhos.


Imediatamente, vestido com a sua bata de médico, foi ver a paciente.


Reconheceu imediatamente aquela mulher e determinou-se a fazer o melhor para salvar aquela vida.


Passou a dedicar atenção especial aquela paciente.


Depois de uma demorada luta pela vida da enferma, ganhou a batalha.


O Dr. Kelly pediu a administração do hospital que lhe enviasse a fatura total dos gastos.


Ele conferiu, depois escreveu algo e mandou entrega-la no quarto da paciente.


Ela tinha medo de abri-la, porque sabia que levaria o resto da sua vida para pagar todos os gastos.


Finalmente abriu a fatura e algo lhe chamou a atenção, pois estava escrito o seguinte:


Totalmente pago há muitos anos com um copo de leite (assinado).


Dr. Howard Kelly.






Lágrimas de alegria correram de seus olhos e seu coração feliz orou assim:


Graças meu Deus porque teu amor se manifestou nas mãos e nos corações humanos.



Autor desconhecido



Namasté...

CHORO DE MULHER ....




Um garotinho perguntou a sua mãe:



- Mamãe, por que você está chorando?


E ela respondeu:


Porque sou mulher...


- Mas... eu não entendo.


A mãe se inclinou para ele, abraçou-o e disse:


- Meu amor, você jamais iria entender!...


Mais tarde o menininho perguntou ao pai:


- Papai, por que mamãe às vezes chora,


sem motivo?


O homem respondeu:


- Todas as mulheres sempre choram sem nenhum motivo....


Era tudo o que o pai era capaz de responder


O garotinho cresceu e se tornou um homem.


E, de vez em quando, fazia a si mesmo a pergunta:


Por que será que as mulheres choram, sem ter motivo para isso?


Certo dia esse homem se ajoelhou e perguntou a Deus:


- Senhor, diga-me...


Por que as mulheres choram com tanta


facilidade?


E Deus lhe disse:


- Quando eu criei a mulher, tinha de fazer algo muito especial.


Fiz seus ombros suficientemente fortes, capazes de suportar o peso do mundo inteiro... Porém suficientemente suaves para conforta-lo!


- Dei a ela uma imensa força interior, para que pudesse suportar as


dores da maternidade e também o desprezo que muitas vezes provém de


seus próprios filhos!


- Dei-lhe a fortaleza que lhe permite continuar sempre a cuidar da


sua família, sem se queixar, apesar das enfermidades e do cansaço, até mesmo quando outros entregam os pontos!


- Dei-lhe sensibilidade para amar seus filhos, em qualquer circunstância, mesmo quando esses filhos a tenham magoado muito ....


Essa sensibilidade lhe permite afugentar qualquer tristeza, choro


ou sofrimento da criança, e compartilhar as ansiedades, dúvidas e medos da adolescência!


- Porém, para que possa suportar


tudo isso,


Meu filho...


Eu lhe dei as lágrimas, e são exclusivamente suas, para usa-las quando precisar.


Ao derrama-las, a mulher verte em cada lágrima um pouquinho de amor. Essas gotas de amor desvanecem no ar e salvam a humanidade!


O homem respondeu com um profundo suspiro...


- Agora eu compreendo o sentimento de minha mãe, de minha irmã de


minha esposa...


- Obrigado, Meu Deus,


por teres criado a mulher.



(Desconheço o Autor)



Namasté...

CONTRALUZ...

Estreia hoje ...........
Eu vou ............



Namasté...

O PACOTE DE BISCOITOS ...




Uma jovem moça estava em viagem, na sala de embarque de um grande aeroporto. Como deveria esperar algumas horas, resolveu comprar um livro para passar o tempo. Comprou também um pacote de biscoitos.

Sentou-se numa poltrona, na sala de espera do aeroporto, para descansar um pouco e começou a ler tranquilamente.

Ao seu lado sentou-se um homem que abriu uma revista e começou também a ler.

Instintivamente a jovem retirou o primeiro biscoito do pacote ao seu lado e o homem também pegou um.

Sentiu-se indignada mas não disse nada. Apenas pensou:

- Mas que cara de pau! Se eu estivesse com outra disposição dava-lhe um soco no olho para que ele nunca mais se esquecesse desse atrevimento!

Seguidamente, de cada vez que a jovem retirava um biscoito o homem também pegava um. Aquilo deixou-a indignada mas não conseguia reagir.

Quando restava apenas um biscoito, ela pensou:

-Deixa ver o que esse atrevido vai fazer agora...

Então, o homem dividiu o último biscoito ao meio e retirou metade, deixando a outra metade para ela.

Aquilo era demais! Ela estava fula de raiva! Furiosamente fechou livro, pegou as suas coisas e dirigiu-se para o local de embarque.

Quando finalmente se sentou confortavelmente numa poltrona, já no interior do avião, olhou para dentro da bolsa para pegar os seus óculos e, com grande surpresa, viu o seu pacote de biscoitos lá dentro, ainda intacto!


Percebeu então que a errada era ela... e sentiu uma imensa vergonha. Ela tinha-se esquecido que os seus biscoitos estavam guardados na bolsa e o homem dividira os biscoitos dele sem se sentir indignado, nervoso ou revoltado... e já não havia forma de se explicar e pedir desculpas...



Moral da história, existem quatro coisas que não se podem recuperar:

-A pedra, depois de atirada!
-A palavra, depois de proferida!
-A oportunidade, depois de perdida!
-O tempo, depois de passado!



Autor desconhecido


Namasté...

O REI E AS SUAS 4 ESPOSAS ...




Era uma vez um rei que tinha quatro esposas.

Ele amava a quarta esposa demais e, por isso, vivia dando-lhe lindos presentes, jóias e roupas caras. Ele dava-lhe de tudo e sempre do melhor.

Ele também amava muito sua terceira esposa e gostava de exibí-la aos reinados vizinhos. Contudo, ele tinha medo que um dia, ela o deixasse por outro rei.

Ele também amava sua segunda esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência. Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele confiava nela, para atravessar esses tempos de dificuldade.

A primeira esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo que estava ao seu alcance para manter o rei muito rico e poderoso, consequentemente o seu reino também properava. Mas ele não a amava, mal tomava conhecimento dela, todavia ela o amava profundamente.



Um dia o rei caiu doente e percebeu que seu fim estava próximo. Ele pensou em toda a luxúria da sua vida e ponderou: "É agora eu tenho quatro esposas comigo, mas quando eu morrer, eu ficarei sozinho.”

Então ele perguntou a quarta esposa: - “Querida, eu te amei tanto, ofertando de finas roupas e jóias. Nesta convivência mostrei o quanto eu a amava, cuidando bem de você. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?”



"De jeito nenhum!" respondeu a quarta esposa e saiu do quarto sem sequer olhar para trás.

A resposta que ela deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca afiada.



Tristemente, o rei então perguntou a terceira esposa: "Eu também a amei tanto a vida inteira. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?”



"Não!", respondeu a terceira esposa. "A vida é boa demais! Quando você morrer, eu vou é casar de novo."

O coração do rei sangrou e gelou de tanta dor.



Ele perguntou, então, à segunda esposa: "Eu sempre recorri a você quando precisei de ajuda e você sempre esteve ao meu lado. Quando eu morrer, você será capaz de morrer comigo, para me fazer companhia?”



“Sinto muito, mas desta vez, eu não posso fazer, o que você me pede!” Respondeu a segunda esposa. O máximo que eu posso fazer é enterrar você.



Essa resposta veio como um trovão na cabeça do rei e ele ficou arrasado.Então uma voz se fez ouvir: "Eu partirei com você e o seguirei por onde for.”



"O rei levantou os olhos e lá estava a sua primeira esposa, tão magrinha, tão mal nutrida, tão sofrida. Com o coração partido, o rei falou: "Eu deveria ter cuidado muito melhor de você, enquanto eu ainda podia."



Na Verdade nós todos temos quatro esposas nas nossas vidas.

Nossa quarta esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços que fazemos para mantê-lo saudável e bonito ele nos deixará quando morrermos.

Nossa terceira esposa são as nossas posses, as nossas propriedades, a nossa riquezas. Quando morremos, tudo isso vai para os outros.



Nossa segunda esposa é nossa família e nossos amigos. Apesar de nos amarem muito e estarem sempre nos apoiando, o máximo que eles podem fazer é nos enterrar.



E nossa primeira esposa é a nossa ALMA muitas vezes deixada de lado por perseguirmos, durante a vida toda, a Riqueza, o Poder e os Prazeres do nosso ego.



Apesar de tudo, nossa Alma é a única coisa que sempre irá conosco, não importa onde formos.



Esta é a hora de investir na alma, construindo valores, enriquecendo o caminho da sabedoria.

Cresça

Amadureça!

Floresça!



Publicado no Blog Peregrina da luz



Namasté...

A OSTRA E A PEROLA ....




"Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas."

Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou grão de areia.

Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada nácar. Quando um grão de areia a penetra, ás células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra.

Como resultado, uma linda pérola vai se formando.

Uma ostra que não foi ferida, de modo algum produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada.

O mesmo pode acontecer conosco. Se você já sentiu ferido pelas palavras rudes de alguém? Já foi acusado de ter dito coisas que não disse? Suas idéias já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Você já sofreu o duro golpe do preconceito? Já recebeu o troco da indiferença?

Então, produza uma pérola !

Cubra suas mágoas com várias camadas de AMOR.


Infelizmente, são poucas as pessoas que se interessam por esse tipo de movimento.

A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, mágoas, deixando as feridas abertas e alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.

Assim, na prática, o que vemos são muitas "Ostras Vazias", não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor.

Um sorriso, um olhar, um gesto, na maioria das vezes, vale mais do que mil palavras.





Desconheço o autor
Enviado por mail por uma Irma de Luz....



Namasté...

MUDANÇAS .....

Chegou a altura de mudanças ...de limpezas ...de renovação ...

E aqui está ...nova cara do Pensamentos de Luz e do Partilhas de Luz...

Novo look mas a mesma essencia, o mesmo amor e o mesmo carinho ...

A todos os que me acompanham ....



                                                                Namasté...

VEM ....

A musica que toca no meu coração ....
Nada tem haver com religião...
Tem haver sim com a mensagem ....
Quero partilhar com voces ....

OM SHANTI AMIGOS ....


Namasté...

O CHEIRO DE DEUS ...



Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta.
De sol quando acorda.
De flor quando ri.
 Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda.
Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça, lambuzando o queixo de sorvete.
 Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem para escolher.
O tempo é outro.
E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.



Tem gente que tem cheiro de colo de Deus.
De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul.
Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.
Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo.
Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga para isso.
Ao lado delas, pode ser Abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.



Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra.
Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza.
Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda tocando com os olhos da paz.
Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.



Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa.
Do brinquedo que a gente não largava.
Do acalento que o silêncio canta.
De passeio no jardim.
Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atracão que realmente nos move não passa só pelo corpo.
Corre em outras veias.
Pulsa em outro lugar.
Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos Deus está connosco, juntinho ao nosso lado e a gente ri grande que nem menino arteiro.



Tem gente como você que nem percebe como tem a alma Perfumada!
E que esse perfume é dom de Deus".

(Drummond)


Namasté...

A CRISE ....


"Um homem vivia à beira de uma estrada e vendia cachorros quentes.


Ele não tinha rádio, televisão e nem lia jornais, mas produzia e vendia bons cachorros quentes.

Preocupava-se com a divulgação do seu negócio e colocava cartazes pela estrada, oferecia o seu produto em voz alta e o povo comprava.

As vendas foram aumentando e, cada vez mais, ele comprava o melhor pão e as melhores salsichas.

Foi necessário também adquirir um fogão maior para atender uma grande quantidade de fregueses, e o negócio prosperava... Os seus cachorros quentes eram os melhores em toda a região!

Vencedor, ele conseguiu pagar uma boa escola ao filho. O menino cresceu e foi estudar economia numa das melhores faculdades do país.

Finalmente, o filho já formado, voltou para casa, notou que o pai continuava com a vidinha de sempre e teve uma séria conversa com ele: - Pai, então você não ouve rádio? Você não vê televisão e não lê os jornais? Há uma grande crise no mundo. A situação do nosso país é crítica. Está tudo ruim. O mundo vai ter grandes problemas.

Depois de ouvir as considerações do filho doutor, o pai pensou: Bem, se meu filho que estudou economia, lê jornais, vê televisão acha isto, então só pode estar com a razão.

Com medo da crise, o pai procurou um fornecedor de pão mais barato (e, claro, pior) e começou a comprar salsichas mais baratas (que eram, também, as piores). Para economizar, parou de fazer cartazes de propaganda na estrada.

Abatido pela notícia da crise já não oferecia o seu produto em voz alta.

Tomadas essas 'providências', as vendas começaram a cair e foram caindo, caindo e chegaram a níveis insuportáveis e o negócio de cachorros quentes do velho, que antes gerava recursos até para fazer o filho estudar economia na melhor escola, faliu.

O pai, triste, então falou para o filho: - 'Você estava certo, meu filho, nós estamos no meio de uma grande crise. '

E comentou com os amigos, orgulhoso: 'Bendita a hora em que eu fiz meu filho estudar economia, ele me avisou da crise... '

Cada um tire as suas próprias conclusões.


Texto de Autor desconhecido


Namasté...

A CADEIRA ...



O sacerdote foi chamado para orar por um homem muito enfermo.



Quando o sacerdote entrou no quarto, encontrou o pobre homem na cama com a cabeça apoiada num par de almofadas.



Havia uma cadeira ao lado da cama, fato que levou o sacerdote a pensar que o homem estava aguardando a sua chegada.



- Suponho que estava me esperando? - disse o sacerdote.



- Não, quem é você? - respondeu o homem enfermo.



- Sou o sacerdote que a sua filha chamou para orar por você; quando entrei e vi a cadeira vazia ao lado da sua cama, imaginei que você soubesse que eu viria visitá-lo.



- Ah sim, a cadeira! Entre e feche a porta.



Então o homem enfermo lhe disse:



- Nunca contei para ninguém, mas passei toda a minha vida sem ter aprendido orar.



Não sabia direito como se deve orar.



E nunca dei muita importância para a oração. Pensava que Deus estava muito distante de mim.



- Assim sendo, há muito tempo abandonei por completo a ideia de falar com Deus.



Até que um amigo me disse:



“José, orar é muito simples. Orar é conversar com Jesus, e isto eu sugiro que você nunca deixe de fazer... você se senta numa cadeira e......coloca outra cadeira vazia na sua frente. Em seguida, com muita fé, você imagina que Jesus está sentado ali, bem diante de você.



Afinal Jesus mesmo disse:



- “Eu estarei sempre com vocês”.



- Portanto, você pode falar com Ele e escutá-lo, da mesma maneira como está fazendo comigo agora.



- Pois assim eu procedi e me adaptei à ideia. Desde então, tenho conversado com Jesus durante umas duas horas diárias. Tenho sempre muito cuidado para que a minha filha não me veja... pois me internaria num manicómio imediatamente.



O sacerdote sentiu uma grande emoção ao ouvir aquilo, e disse a José que era muito bom o que estava fazendo e que não deixasse nunca de fazê-lo.



Em seguida orou com ele e foi embora.



Dois dias mais tarde, a filha de José comunicou ao sacerdote que seu pai havia falecido.







O sacerdote então perguntou:



- Ele faleceu em paz?



- Sim, quando eu estava me preparando para sair, ele me chamou ao seu quarto. Ele disse que me amava muito e me deu um beijo.



Quando eu voltei das compras, uma hora mais tarde, já o encontrei morto.



Porém há algo de estranho em relação à sua morte, pois aparentemente, antes de morrer, chegou perto da cadeira que estava ao lado da cama e encostou a cabeça nela.



Foi assim que eu o encontrei.



Porque será isto? – perguntou a filha.



O sacerdote, profundamente emocionado, enxugou as lágrimas e respondeu:



- Ele partiu nos braços do seu melhor amigo...


Enviada por email por um Amigo de Luz
Carlos Sandrini

Namasté...