REFLEXÃO ...




Mantenha seus pensamentos positivos
porque pensamentos tornam-se suas palavras...

Mantenha suas palavras positivas
porque suas palavras tornam-se suas atitudes...

Mantenha suas atitudes positivas
porque suas atitudes tornam-se seus hábitos...

Mantenha seus hábitos positivos
porque seus hábitos tornam-se seus valores...

Mantenha seus valores positivos
porque seus valores tornam-se seu destino.

Mahatma Gandhi


Namasté...

CINCO LIÇÕES SOBRE COMO TRATAR AS PESSOAS ...





1 - Primeira lição importante - Senhora da limpeza

Durante o meu segundo ano no ensino superior, o nosso professor deu-nos um teste.

Eu era um aluno consciente e respondi rapidamente a todas as questões até ler a última:

"Qual é o nome da mulher que faz a limpeza na escola?"
Isto só podia ser uma brincadeira. Eu tinha visto a mulher da limpeza inúmeras vezes.
Ela era alta, cabelo escuro, por volta dos 50 anos, mas como poderia eu saber o nome dela?
Eu entreguei o meu teste, deixando em branco a última questão.

Mesmo antes da aula terminar, um dos estudantes perguntou se a última questão contava para nota.
"Sim!! Absolutamente," respondeu o professor. "Nas nossas carreiras iremos encontrar muitas pessoas. Todas são significativas. Elas merecem a nossa atenção e cuidado, mesmo que tudo o que façamos seja sorrir e dizer 'olá'."

Nunca esquecerei aquela lição. Também aprendi que o nome da senhora, era Dorothy.

2 - Segunda lição importante - Boleia na chuva

Uma noite, pelas 11:30 p.m., uma mulher de origem Africana, estava apeada numa auto-estrada do Alabama, tentando aguentar uma valente chuva torrencial. O carro dela tinha avariado e ela precisava desesperadamente de uma carona. Completamente encharcada, ela decidiu fazer stop ao carro que se aproximava. Um jovem, branco, decidiu ajudá-la, apesar de isto ser uma atitude destemida naqueles dias de racismo (década de 60). O homem levou-a até um lugar seguro, ajudou-a a resolver a sua situação e arranjou-lhe um táxi.

Ela parecia estar com muita pressa, mas mesmo assim tomou nota da morada do jovem e agradeceu-lhe.

Uma semana mais tarde batiam à porta do jovem. Para sua surpresa, uma televisão em cores era-lhe entregue à porta. Um cartão de agradecimento acompanhava a televisão.
Dizia:
"Muito obrigada por me ajudar na auto-estrada, na outra noite. A chuva não só encharcou a minha roupa, como o meu espírito. Foi então que você apareceu. Por sua causa consegui chegar ao meu marido antes de ele falecer. Que Deus o abençoe por me ter ajudado e ter servido outros de maneira tão altruísta.
Com sinceridade,
Mrs. Nat King Cole."

3 - Terceira lição importante - Lembre-se sempre daqueles que lhe servem

Nos dias em que um sorvete custava muito menos do que hoje, um rapazinho de 10 anos entrou no café de um hotel e sentou-se a uma mesa. Uma empregada de mesa trouxe-lhe um copo de água.
"Quanto custa um sorvete de taça?" perguntou o rapazinho.
"Cinquenta cêntimos," respondeu a empregada.
O rapazinho tirou do bolso uma mão cheia de moedas e contou-as.
"Bem, quanto custa um sorvete simples?" perguntou ele.
A esta altura já mais pessoas estavam à espera de uma mesa e a empregada começava a ficar impaciente.
"Trinta e cinco cêntimos," respondeu ela, com brusquidão.
O rapazinho contou novamente as suas moedas.
"Vou querer o simples." Respondeu ele.
A empregada trouxe o sorvete, colocou a conta em cima da mesa, recebeu o dinheiro do rapazinho e afastou-se.
O rapazinho terminou o seu sorvete e foi-se embora.
Quando a empregada foi levantar a mesa começou a chorar. Encima da mesa, colocado delicadamente ao lado da conta, estavam 3 moedas de cinco cêntimos...
Não sei se está percebendo: ele não podia comer o sorvete cremoso porque queria ter dinheiro suficiente para deixar uma gorjeta à empregada.

4 - Quarta lição importante - O obstáculo no nosso caminho

Em tempos antigos, um rei mandou colocar um enorme pedregulho num caminho. Depois escondeu-se e ficou vendo se alguém retirava a enorme pedra. Alguns dos comerciantes mais ricos do Rei passaram e simplesmente se afastaram da pedra, contornando-a. Alguns culpavam em alta voz o Rei por não manter os caminhos limpos. Mas nenhum fez nada para afastar a pedra do caminho.

Apareceu então um camponês, carregando um molho de vegetais. Ao aproximar-se do pedregulho, o camponês colocou o seu fardo no solo e tentou deslocar a pedra para a beira do caminho. Depois de muito empurrar, finalmente conseguiu. O camponês voltou a colocar os vegetais ás costas e só depois reparou num porta-moedas no local onde antes estivera a enorme pedra.

O porta-moedas continha muitas moedas de ouro e uma nota a explicar que o ouro era para aquele que retirasse a pedra do caminho. O camponês aprendeu aquilo que muitos de nós nunca compreendem:
Cada obstáculo apresenta uma oportunidade para melhorar a nossa situação.

5 - Quinta lição importante - Dar o quanto se precisa

Muitos anos atrás, quando eu trabalhava como voluntário num hospital, conheci uma pequena menina chamada Liz, que sofria de uma doença rara e muito grave. A sua única hipótese de salvamento parecia ser uma transfusão de sangue do irmão mais novo, de cinco anos, que já tinha tido o mesmo problema e sobrevivido milagrosamente, desenvolvendo anticorpos necessários para a combater. O médico explicou-lhe a situação da irmã e perguntou-lhe se ele estaria disponível para dar o seu sangue à sua irmã.
Eu vi-o hesitando, por uns instantes, antes de respirar fundo e dizer "sim, eu faço-o se isso a salvar."
À medida que a transfusão ia correndo, ele mantinha-se deitado ao lado da sua irmã, sorrindo. Todos nós sorríamos, vendo a cor a regressar à face da menina. Foi então que o menino começou a ficar pálido e o seu sorriso a desaparecer.
Ele olhou para o médico e perguntou-lhe, com a voz a tremer: "Será que eu começo a morrer já?".

Sendo muito jovem, o menino não compreendeu o médico; ele pensou que teria que dar todo o seu sangue à irmã para a poder salvar.

O mais importante................... "Trabalha como se não precisasse do dinheiro, ama como se nunca tivesse sido magoado, e dança como dança quando não há ninguém a observá-lo."


 http://www.forumespirita.net


Namasté...

O SÁBIO ...




" Aquele que conhece os outros é sábio.
Aquele que conhece a si mesmo é iluminado.

Aquele que vence os outros é forte.
Aquele que vence a si mesmo é poderoso.

Aquele que conhece a alegria é rico.
Aquele que conserva o seu caminho tem vontade.

Seja humilde, e permanecerás íntegro.
Curva-te, e permanecerás ereto.

Esvazia-te, e permanecerás repleto.
Gasta-te, e permanecerás novo."

O sábio não se exibe, e por isso brilha.
O sábio não se faz notar, e por isso é notado.

O sábio não se elogia, e por isso tem mérito.
E, porque não está competindo,
ninguém no mundo pode competir com ele."

Lao Tsé


Namasté...

CORAGEM PARA MUDAR ...



Muitos dos conflitos que afligem o ser humano decorrem dos padrões de comportamento que ele próprio adopta em sua jornada terrestre.

É comum que se copiem modelos do mundo, que entusiasmam por pouco tempo, sem que se analisem as consequências que esses modos comportamentais podem acarretar.


Não se tem dado a devida importância ao crescimento e ao progresso individual dos seres.

Alguns crêem que os próprios equívocos são menores do que os erros dos outros.

Outros supõem que, embora o tempo passe para todos, não passará do mesmo modo para eles.

Iludem-se no sentido de que a severidade das leis da consciência atingirá somente os outros.

Embriagados pelo orgulho e pelo egoísmo deixam-se levar pelos desvarios da multidão sem refletir a respeito do que é necessário realmente buscar-se.

É chegado o momento em que nós, espíritos em estágio de progresso na Terra, devemos procurar superar, de forma verdadeira, o disfarçado egoísmo, em busca da inadiável renovação.

Provocados pela perversidade que campeia, ajamos em silêncio, por meio da oração que nos resguarda a tranquilidade.

Gastemos nossas energias excedentes na atividade fraternal e voltada à verdadeira caridade.

Cultivemos a paciência e aguardemos a benção do tempo que tudo vence.

Prossigamos no compromisso abraçado, sem desânimo, sem vãs ilusões, confiando sempre no valor do bem.

É muito fácil desistir do esforço nobre, comprazer-se por um momento, tornar-se igual aos demais, nas suas manifestações inferiores.

Todavia, os estímulos e gozos de hoje, no campo das paixões desgovernadas, caracterizam-se pelo sabor dos temperos que se convertem em ácido e fel, passados os primeiros momentos.

Aprendamos a controlar nossas más inclinações e lograremos vencer se perseverarmos no bom combate.

Convertamos sombras em luz.

Modifiquemos hábitos danosos, em qualquer área da existência, começando por aqueles que pareçam mais fáceis de serem derrotados.

Sempre que surgir a oportunidade, façamos o bem, por mais insignificante que nosso ato possa parecer.

Geremos o momento útil e aproveitemo-lo.

Não nos cabe aguardar pelas realizações grandiosas, e tampouco podemos esperar glorificação pelos nossos acertos.

O maior reconhecimento que se pode ter por fazer o que é certo é a consciência tranqüila.

Toda ascensão exige esforço, adaptação e sacrifício, enquanto toda queda resulta em prejuízo, desencanto e recomeço.

Trabalhemos nossa própria intimidade, vencendo limites e obstáculos impostos, muitas vezes, por nó mesmos.

Valorizemos nossas conquistas, sem nos deixarmos embevecer e iludir por essas vitórias.

Há muitas paisagens, ainda, a percorrer e muitos caminhos a trilhar.

Somente a reforma íntima nos concederá a paz e a felicidade que almejamos.

A mudança para melhor é urgente, mas compete a cada um de nós, corajosa e individualmente, decidir a partir de quando e como ela se dará.



Psicografia de Divaldo P. Franco – Vigilância.


Namasté...

A IMPORTÂNCIA DO PENSAMENTO ...




“Sê tu então transformado pela renovação de tua mente.” PATÂNJALI

À medida que o homem muda o desejo, ele muda a si próprio.

Mude sua linha de pensamento e mudará sua natureza.

Deseje o que é verdadeiro, a partir do veículo velho, e um novo veículo, ou um novo homem, uma personalidade destinada a um uso mais sublime, aparecerá.

O homem que se propõe a mudança interior, através do pensamento, consegue uma renovação espiritual significativa.

Verá que, o pensador, o homem real, é o responsável pela transformação de seus três aspectos: mental, emocional e físico.

Quando o homem vem à vida, traz, em si mesmo, sementes que devem frutificar.

Então se vê que o homem é o produto do passado, e o que seremos no futuro depende das sementes semeadas na vida presente.

Não há nada escondido ou oculto que não venha a ser revelado, nem segredo algum que não venha a ser conhecido.

Os atos do presente terão conseqüências numa data posterior.
Pode-se afirmar que somos a conseqüência do passado.

Assim o homem sábio curva-se às finalidades superiores elevando seu ritmo vibratório.

O homem é uma coisa quando encarnado, e outra, quando desencarnado, pois será o produto do passado, mais a conquista do presente.

Através do pensamento, construímos nosso próprio mundo e criamos nosso próprio meio ambiente, assim alegrias e tristezas, são forjadas pelos nossos atos.

Nada na vida é fruto do ACASO, mas de nossas decisões internas, que podem acontecer no presente, fruto do passado, ou no futuro, quando o carma determinar!


AFORISMOS DE PATÂNJALI.



Namasté...

A CORTINA DO EU ...


        

     Em verdade, estudamos com o Cristo a ciência divina de ligação com o Pai, mas ainda nos achamos muito distantes da genuína comunhão com os interesses divinos.
             Por trás da cortina do “eu”, conservamos lamentável cegueira diante da vida.
             Examinemos imparcialmente as atitudes que nos são peculiares nos próprios serviços do bem, de que somos cooperadores iniciantes, e observaremos que, mesmo aí, em assuntos de virtude, a nossa percentagem de capricho individual é invariavelmente enorme.
             A antiga lenda de Narciso permanece viva, em nossos mínimos gestos, em maior ou menor porção.
             Em tudo ou em toda parte, apaixonamo-nos pela própria imagem.
             Nos seres mais queridos, habitualmente amamos a nós mesmos, porque, se demonstram pontos de vista diferentes dos nossos, ainda mesmo quando superiores aos princípios que esposamos, instintivamente enfraquecemos a afeição que lhes consagrávamos.
             Nas obras do bem a que nos devotamos, estimamos, acima de tudo, os métodos e processos que se exteriorizam do nosso modo de ser e de entender, porquanto, se o serviço evolui ou se aperfeiçoa, refletindo o pensamento de outras personalidades acima da nossa, operamos, quase sem perceber, a diminuição do nosso interesse para com os trabalhos iniciados.
             Aceitamos a colaboração alheia, mas sentimos dificuldade para oferecer o concurso que nos compete.
             Se nos achamos em posição superior, doamos com alegria uma fortuna ao irmão necessitado que segue connosco em condição de subalternidade, a fim de contemplarmos com volúpia as nossas qualidades nobres no reconhecimento de longo curso a que se sente constrangido, mas raramente concedemos um sorriso de boa-vontade ao companheiro mais abastado ou mais forte, posto pelos Desígnios Divinos à nossa frente.
            Em todos os passos da luta humana, encontramos a virtude rodeada de vícios e o conhecimento dignificante quase sufocado pelos espinhos da ignorância, porque, infelizmente, cada um de nós, de modo geral, vive à procura do “eu mesmo”.
             Entretanto, graças à Bondade de Deus, o sofrimento e a morte nos surpreendem, na experiência do corpo e além dela, arrebatando-nos aos vastos continentes da meditação e da humildade, onde aprenderemos, pouco a pouco, a buscar o que pertence a Jesus Cristo, em favor da nossa verdadeira felicidade, dentro da glória de viver.
    Emmanuel


Extraído do livro “Fonte Viva”-Ítem 101 – Francisco Cândido Xavier


Namasté...