SIMBOLOGIA DE NATAL ...

Árvore 


 Representa a vida renovada, o nascimento de Jesus.
O pinheiro foi escolhido por suas folhas sempre verdes, cheias de vida.
Essa tradição surgiu na Alemanha, no século 16.
As famílias germânicas enfeitavam suas árvores com papel colorido, frutas e doces.
Somente no século 19, com a vinda dos imigrantes à América, é que o costume espalhou-se pelo mundo.

Presentes 

 Simbolizam as ofertas dos três reis magos.
Hábito anterior ao nascimento de Cristo.
Os romanos celebrava a Saturnália em 17 de dezembro com troca de presentes.
O Ano Novo romano tinha distribuição de mimos para crianças pobres.

Velas 


 Representam a boa vontade.
No passado europeu, apareciam nas janelas, indicando que os moradores estavam receptivos.

Estrela 



 No topo do pinheiro, representa a esperança dos reis-magos em encontrar o filho de Deus.
A estrela guia os orientou até o estábulo onde nasceu Jesus.

Cartões 


 Surgiram na Inglaterra em 1843, criados por John C. Horsley que o deu a Henry Cole, amigo que sugeriu fazer cartas rápidas para felicitar conjuntamente os familiares.


Comidas típicas


O simbolismo que o alimento tem na mesa vem das sociedades antigas que passavam fome e encontravam na carne, o mais importante prato, uma forma de reverenciar a Deus.


Presépio 

 Reproduz o nascimento de Jesus.
O primeiro a armar um presépio foi São Francisco do Assis, em 1223.
As ordens religiosas se incumbiram de divulgar o presépio, a aristocracia investiu em montagens grandiosas e o povo assumiu a tarefa de continuar com o ritual.





Namasté...

LENDA DA FLOR DE NATAL ...


Diz a lenda, que uma menina chamada Pepita, sendo pobre, não podia oferecer um presente merecedor ao menino Jesus, na missa de Natal.
Muito triste, contou o facto ao seu primo Pedro, que ia com ela a caminho da igreja.
Este disse-lhe que ela não tinha que estar triste, pois o que mais importa quando oferecemos algo a alguém, é o amor com que oferecemos, especialmente aos olhos de Jesus.
Pepita lembrou-se então de ir recolhendo alguns ramos secos que ia encontrando pelo caminho, para Lhe oferecer.

Quando chegou à igreja, Pepita olha para os ramos que colheu e começa a chorar, pois acha esta oferenda muito pobre.
Mesmo assim, decide oferecê-las com todo o seu amor.
Entra na igreja e, quando deposita os ramos em frente da imagem do menino Jesus, estes adquirem uma cor vermelha brilhante, perante o espanto de toda a congregação presente.
Este facto foi considerado por todos o milagre daquele Natal.

Namasté...

LENDA DA VELA DE NATAL ...



Era uma vez um pobre sapateiro que vivia numa cabana, na encruzilhada de um caminho, perto de um pequeno e humilde povoado.
Como era um homem bom e queria ajudar os viajantes, que à noite por ali passavam, deixava na janela da sua casa, uma vela acesa todas as noites, de modo a guiá-los.
E apesar da doença e a fome, nunca deixou de acender a sua vela.
Veio então uma grande guerra, e todos os jovens partiram, deixando a cidade ainda mais pobre e triste.
As pessoas do povoado ao verem a persistência daquele pobre sapateiro, que continuava a viver a sua vida cheio de esperança e bondade, decidiram imitá-lo e, naquela noite, que era a véspera de Natal, todos acederam uma vela em suas casas, iluminando todo o povoado.
À meia-noite, os sinos da igreja começaram a tocar, anunciando a boa notícia:
a guerra tinha acabado e os jovens regressavam às suas casas!

Todos gritaram:
“É um milagre! É o milagre das velas!”.
A partir daquele dia, acender uma vela tornou-se tradição em quase todos os povos, na véspera de Natal

Namasté...

LENDA DO BOLO REI


O nosso bolo-rei caracteriza-se por conter no seu interior uma fava surpresa e um pequena brinde, capazes de causarem problemas a quem o trincar,desprevenidamente.
Do ponto de vista religioso,esse costume fundamenta-se numa lenda segundo a qual os Reis Magos, quando viram uma estrela, a brilhar no céu indicando o nascimento do Menino Jesus, logo se encaminharam para Belém.
Quando se aproximaram das muralhas que cercam Jerusalém,Baltazar, Belchior e Gaspar disputaram a primazia de oferecer o oiro,o incenso e a mirra.
Um padeiro terá então confeccionado um lobo, dentro do qual escondeu uma fava:partilhado pelos três, aquele que ficou com a fava foi o primeiro a entregar o presentinho...


Namasté...

LENDA DO SAPATO JUNTO DA LAREIRA



Quando,na noita de 24 para 25 de Dezembro de 286, os irmãos quando Soqueiros noite Rrispim e Cripiano fugiam ás perseguições cansaram-se de bater ás portas mas ninguem lhe dava abrigo.
Uma viúva muito pobre, que vivia com um filho numa cabana escondida no bosque, deu-lhes agasalho e comida .Eles comovidos com esta atitude pdiram a Deus que recompensasse a caridosa viúva .
Durante a noite, enquanto ela e o filho dormiam, os ´´Soqueiros´´vendo perto da lareira um par de socos velhos, resolveram fazer uns novos,que deixaram junto ao braseiro antes departirem.
Na manhã seguinte a viúva deparou com os socos novos que estavam a
transbordar de moedas de ouro.
A partir de séc III, ainda segundo a lenda, todas as crianças colocam na
lareira ou no fogão o sapatinho na esperança que se repita o milagre dessa noite.


Namasté...

LENDA DA ÁRVORE DE NATAL ...


Quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas e animais e até as
árvores sentiram uma imensa alegria.
Do lado de fora do estábulo onde o Menino dormia, estavam três árvores: uma palmeira, uma oliveira,e um pequeno pinheirinho.
Todos os dias as pessoas passavam e deixavam presentes ao Menino.
- Nós também Lhe deviamos dar prendas! - disseram as árvores.
- Eu vou dar-lhe a minha folha mais larga - disse a palmeira - quando vier o tempo do calor ele pode abanar-se com ela e sentir-se mais fresco.
Então disse a oliveira :
- E eu vou dar-lhe óleo.Perfumados óleos poderão ser feitos a partir do
meu sangue.
- Mas que lhe poderei dar eu?
- Perguntou ansioso o pequeno pinheiro.
- Tu? Os teus ramos são agudos e picam - disseram as outras duas árvores .-Tu não tens nada para lhe dar !
O pequeno pinheiro estava triste.Pensou muito,muito,em qualquer coisa
que pudesse oferecer ao Menino que dormia,qualquer coisa de que o
Menino pudesse gostar.
Mas não tinha nada para lhe dar.
Então um anjo, que tinha ouvido a conversa toda , sentiu pena da arvorezinha que não tinha nada para dar ao Menino.
As estrelas estavam a brilhar no céu .Então o anjo, muito de mansinho, trouxe-as uma a uma cá para baixo, desde a mais pequeina à mais brilhante e colocou - as nos ramos pontiabgudos do pinheiro. Dentro do estábulo, o Menino acordou . E olhou para as três árvores do lago de lá da gruta , contra a escuridão do céu.De repente as folhas escuras do pinheiro brilharam, resplandecentes, porque nelas as estrelas descansavam como se fossem elas.
Que lindo estava o pequeno pinheiro, que não tinha nada a oferecer ao
Menino...
E o Menino Jesus levantou as mãozinhas, tal como fazem os bebés, e sorriu para as estrelas e para aquela árvore que lhe iluminara a escuridão da noite.
E desde então o pinheiro ficou a ser, para todo o sempre,
a Árvore de Natal.


(História tradicional inglesa)



Namasté...