UM CONTO SARI .... VIGIA A TUA ESTACA



Um dia o Diabo disse:
“O Que é isso? Que injusto! Façam o que fizerem as pessoas, sempre que algo mau acontece, colocam a culpa em mim. Que culpa tenho eu? Sou inocente! Olha, te mostrarei como me culpam por tudo”.

Havia um forte carneiro preso a uma corda, que por sua vez, estava amarrada a uma estaca.
O Diabo afrouxou a estaca e disse: “Isto é tudo o que vou fazer”.
O carneiro deu um puxão e arrancou a estaca do chão.
A porta da casa de seu proprietário estava aberta e, na entrada, havia um formoso espelho, enorme e antigo.
O carneiro viu seu reflexo no espelho, abaixou a cabeça e atacou. O vidro ficou destroçado.

A dona da casa correu escadas abaixo e viu seu formoso espelho, que havia estado na família durante anos, completamente destroçado.

Enfurecida, gritou aos empregados:
“Cortem a cabeça desse carneiro! Matem-no!”.

Assim, os empregados mataram o animal.
Porém aquele carneiro era um animal especialmente querido de seu marido, que lhe havia dado de comer em sua mão quando era pequenino.

Assim que ao chegar em casa achou a seu formoso carneiro morto.
“Quem teria lhe matado?
Quem poderia ter feito algo tão terrível?”.

Sua mulher gritou:
“Eu matei teu carneiro. E fiz isso porque ele havia destruído esse espelho tão lindo que havia sido um legado de meus pais”.

O marido, irado, replicou: “Nesse caso, me divorcio de ti”.

Os fofoqueiros da vizinhança disseram aos irmãos da mulher que seu marido ia divorciar-se dela por causa do carneiro que ela havia matado.

Os irmãos ficaram furiosos.
Reuniram seus parentes e sairam para buscar o marido, armados com fuzis e espadas.
O marido escutou que eles estavam vindo e chamou a seus próprios parentes para defendê-lo.
As duas famílias começaram uma disputa onde muitas casas foram queimadas, e morreram muitas pessoas.

O Diabo disse:
“Vês? Que fiz eu? Apenas movi a estaca. Por que vou ser o responsável por todas as coisas terríveis que eles fizeram uns aos outros? Eu apenas afrouxei um pouquinho a estaca”.

VIGIA A TUA ESTACA ...

Namasté...

Sem comentários: