O PODER DA INFLUÊNCIA ...




Uma coisa que me impressiona sempre é o poder que temos para influenciarmos uns aos outros.

Quando duas pessoas encontram-se, conversam, vêem-se com frequência, sobretudo as que moram juntos, elas se influenciam.
Em algum nível, uma pessoa absorve um pouco da outra.
E isto é visível, por exemplo, através da mudança no modo de falar, no gestual, ou mesmo no uso de gírias. Já observou uma pessoa conhecida sua que acabou de voltar de uma viagem por outro estado e notou como o sotaque dela está levemente diferente?

Ou, em um nível mais profundo, como quando duas pessoas casam, elas desenvolvem hábitos parecidos?

O modo como agirmos, como falamos, e até como vemos o mundo é muito influenciado pelas pessoas ao nosso redor.
E isso não quer dizer que sejamos fracos, que de algum modo somos pessoas desprovidas de “personalidade”.

Esse fenómeno tem diversas explicações: é a empatia, a nossa necessidade de nos identificarmos em um meio, de nos adaptarmos, etc.

O ponto principal não é este.

Não importa tanto o como ou o porquê há esse processo de influência.
Ele apenas há.
E, portanto, é um mecanismo que pode ser aproveitado em nossa vida.
Podemos tirar proveito desta nossa capacidade para transformá-la em bons resultados.

Como?

Cercando-se de pessoas que são como você gostaria de ser.

E...

Se afastando das pessoas que não têm nada a ver com o que você quer para si

Se a influência ocorrem até mesmo nos níveis mais subtis e nem mesmo a mente mais lógica e racional do mundo é capaz de escapar deste princípio, então o melhor que se pode fazer é usá-lo a nosso favor.

Podemos, a princípio, não ter acesso às pessoas que gostaríamos de ser influenciados de fato.
Mas podemos nos afastar das que nos influenciam negativamente, enquanto buscamos, mesmo que lentamente, nos aproximar das pessoas certas.

E outra coisa interessante é parar e se questionar...

Como eu estou influenciando as pessoas ao meu redor?

Sejamos responsáveis com nosso poder de influência, por mais inconsciente que ele possa parecer ser.
Pelo menos COMO o faze-mos, é algo que podemos mudar, sendo uma responsabilidade nossa para com as pessoas ao nosso redor.

Se desejar receber o melhor dos outros, o mínimo que pode fazer é dar o melhor de nós mesmos, antes de mais nada.


Arjan Goes Tinoco


Namasté...

Sem comentários: