A HISTORIA DO DUENDE TEZAZ




No início do mes de Dezembro, fui presenteada por uma imagem de porcelana de um Duende ,sentado numa pedra, usando um gorro vermelho pontudo(em forma de cone).
A princípio a dona do duende não o queria mais.
Apenas me deu porque ficou com pena de joga-lo fora...
Quando ele chegou, resolvi cruza-lo com incenso de igreja.
 Mas ele não gostou (por certo nunca levou fumaça para benze-lo).
O incenso caiu de minha mão, espalhou cinzas na porta de minha cozinha e quase queimou meu braço. Fiquei impressionada.
O coloquei perto da porta da varanda debaixo da arvore da felicidade.
Fui tomar meu banho, e fiquei perguntando o nome dele.
Pensei em chama-lo de gorrinho Vermelho...
Mas uma voz me soprou no meu ouvido direito:
"Meu nome é Tezaz".
 Fiquei mais impressionada.
Quando meu marido chegou do trabalho me falou, que o duende parecia fitá-lo fixamente.
Contei sobre o incenso, e ele resolveu incensá-lo, também.
Quando ele acendeu o incenso, caiu de sua mão como tivesse levado um tapinha.
Ele também, ficou impressionado.
Resolveu presenteá-lo com uma moeda e conversou que éramos amigos e que ele era bem-vindo.
Na terceira tentativa, de incensá-lo, ele aceitou e me veio á intuição de alecrim (o aroma do incenso).
Até hoje ele permanece onde o coloquei e aceita e me sugere o perfume do incenso que quer.
E no dia seguinte que ele chegou, perguntei, se estava gostando de minha casa, no vasinho de barro com terra surgiu minis cogumelos, que até mostrei para a ex-dona.
Eram contados 22 cogumelos e duraram cerca de 9 dias sem murchar...
Incrível.
Eu sempre acredito em duendes.
Vamos tratar bem todos os reinos de nossa Mãe -Terra e ama-los respeita-los como energia que vivem ao nosso redor.

OM Shantí


Desconheço a autora
Enviado por mail


Namasté...

Sem comentários: