O CEGO ...



Um artista andava pelas ruas de Paris quando avistou um homem ajoalhado na calcada. Sujo e mal trapilho, o homem tinha a sua frente uma placa de madeira ao lado de um chapeu velho com algumas poucas moedas. A placa dizia apenas: "Sou cego, ajude-me por favor".

O artista, ao ver a figura do magro pedinte, teve pena e levou as maos aos bolsos. Doce ilusao, visto que ele mesmo mal tinha de comer, e a meses vagava buscando por trabalho, ao vasculhar seus bolsos tudo que encontrou foi um pedaco de carvao. Inconsolado de nao poder ajudar, porem, fez a unica coisa que lhe veio a mente. Usando o pedaço de carvão, ele pegou a pequena placa de madeira pousada no passeio, virou-a, escreveu uma nova mensagem, e partiu.

O homem cego percebeu pelos ruidos algo se passava, mas cansado, faminto, descrente, nada fez ou questionou...

Por todo aquele dia as moedas nao pararam de cair. Ao recolher o chapeu no fim do dia, surpreso, o pobre agradecia ao estranho que lhe tinha mudado os dizeres.... Novas palavras que tanto lhe touxeram, e que, porem, nao lhe eram conhecidas.

Naquele momento ele se levantou e pediu que a primeira pessoa que por ali passava lhe dissesse o que dizia a placa... A resposta:

"É PRIMAVERA EM PARIS, E EU NAO POSSO VER!..."

Namasté...

Sem comentários: